*Texto escrito pela Professora Leonice Rochinski, do Colégio Expoente – Água Verde, para o e-book Boas Práticas Guten

O texto selecionado na plataforma da Guten foi “Realidade Indígena”, uma entrevista realizada com Daniel Munduruku, um escritor nascido em uma aldeia indígena no Pará. Daniel é educador e autor de 52 livros, a maioria deles sobre questões indígenas. Esse texto foi selecionado para trabalhar com uma turma de 5° ano, pois a matéria aborda assuntos importantes que merecem a reflexão por parte dos nossos alunos, sobre a demarcação de terras, inclusão social, ameaças e preconceitos.

Essas temáticas abordadas na matéria contribuíram para a análise, reflexão e a inferência dos nossos alunos sobre a comunidade indígena.

Os alunos, desde o início do ano, estão estudando sobre: o processo de colonização do Brasil, quem eram os habitantes deste território antes da chegada dos europeus, como viviam, seus costumes, crenças, a relação deles com o meio ambiente, as distribuições de tarefas, como esse povo vivem atualmente e em que condições.

O desafio foi instigar os alunos a refletirem sobre as comunidades indígenas na atualidade e compreenderem como o processo de colonização interferiu
na trajetória desse povo.

O texto foi lido e discutido com os estudantes e, na aula de informática, eles retomaram a leitura e realizaram as atividades propostas pela plataforma. Para trabalharmos de maneira interdisciplinar, foi utilizado o material didático de Geografia, o qual abordava a “Declaração Universal dos Direitos dos
Povos”. Os alunos conseguiram relacionar os textos fazendo as devidas inferências.

Com a finalidade de comprovarmos os assuntos que foram trabalhados, tanto na entrevista no Guten News quanto nos “Direitos dos Povos”, os alunos pesquisaram duas notícias que abordassem acontecimentos que representassem, na prática, os direitos dos povos indígenas e o desrespeito aos direitos dos povos.

Os alunos trouxeram as notícias pesquisadas, apresentaram aos colegas o assunto principal de cada matéria e confeccionaram dois cartazes: um sobre os direitos sendo garantidos aos povos e o outro sobre o desrespeito ao cumprimento dos direitos indígenas. Todo este trabalho culminou em uma assembleia, onde o preconceito e o desrespeito à diversidade cultural tiveram destaque nas discussões, proporcionando aos alunos uma aprendizagem significativa, pois eles puderam ler, pesquisar, estabelecer relações, discutir sobre o assunto, argumentar e contra argumentar.

Temas como os citados acima devem ser levados para dentro da sala de aula, pois, com o tempo, parece que a sociedade naturaliza questões sérias de exclusão social, como acontece com comunidade indígena.

Cabe a escola propor práticas educativas, com temas relevantes, que possibilitem que os alunos olhem para a sociedade em que vivem e, o mais importante, para que olhem para o povo que faz parte dessa sociedade, contribuindo de maneira significativa para a cultura brasileira.

Powered by Rock Convert