O alarmante problema da desigualdade educacional no Brasil tem sido alvo de discussões ao longo dos últimos anos. Uma das soluções propostas pelo MEC foi a homologação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que regulamenta um conjunto padrão de objetivos de aprendizagem que todo aluno brasileiro deverá alcançar.

É importante ficar atento para as implicações desses novos parâmetros nacionais de aprendizagem tanto nas escolas privadas como nas públicas. Quer aprofundar seu conhecimento sobre a BNCC? Continue lendo este artigo!

O que é a Base Nacional Comum Curricular?

A base consiste em parâmetros que estabelecem um conjunto de habilidades e competências a serem desenvolvidas igualmente por todos os alunos do país, seja na rede privada ou pública. No entanto, o objetivo da base não é definir o currículo das escolas, mas estabelecer nortes com relação ao que deve ser considerado essencial. A forma como essas competências serão desenvolvidas ainda é responsabilidade de cada instituição.

Quais são as propostas da BNCC?

A BNCC sugere a divisão em áreas, competências de cada área, componentes curriculares e competências específicas. O objetivo é segmentar as habilidades e desenvolvê-las em paralelo enquanto o aluno estuda cada componente específico.

Essas e outras propostas foram definidas visando o desenvolvimento das dimensões cognitiva, comunicativa, cultural, social e argumentativa dos alunos. Ou seja, a meta não é somente ensinar um conjunto de conteúdos, mas cooperar para que eles desenvolvam a capacidade de encontrar soluções para problemas e capacidade de transformação para o mundo moderno.

A BNCC também propõe a utilização de diferentes mídias, o que favorece uma metodologia orientada à inserção de novas tecnologias no ensino. A base orienta que os alunos possam aprender com vídeos tutoriais, por exemplo, ao consumir materiais desse tipo, mas também os produzindo. Outro bom exemplo é a revisão e edição de texto com ilustração utilizando ferramentas digitais.

Quais os impactos da BNCC no ambiente escolar?

A nova base confere uma autonomia maior ao aluno, à medida que o coloca como protagonista do aprendizado. A principal mudança no ambiente será na visão de muitos profissionais sobre o objetivo da relação entre o educador e o aluno: este deverá ser o desenvolvimento das competências essenciais, utilizando como ferramenta os conteúdos ensinados. O foco dos currículos deve ser as habilidades e não os conceitos.

Qual é a forma de aplicar nas escolas particulares?

As escolas devem ficar atentas quanto à necessidade de atualização. Afinal, a BNCC orienta a construção do currículo e de propostas pedagógicas, dos materiais didáticos, a formação de professores e a forma como se dará a avaliação. As unidades dispõem de um período de adaptação de dois anos (até 2020).

As escolas particulares sempre tiveram mais autonomia na definição de seus currículos do que as públicas. No entanto, com a nova BNCC, há a necessidade de atentar para os objetivos definidos e para a forma como a escola deverá buscar o desenvolvimento dessas habilidades e competências. 

Quais vantagens ela pode trazer à educação?

Além de conferir mais transparência ao processo de aprendizado, a BNCC ajudará a desenvolver o engajamento de alunos e professores. Haverá maior organização do que será ensinado e maior equidade para a educação dos alunos de instituições privadas e públicas em todo o país. Ademais, com a nova base, as habilidades e competências essenciais dos alunos serão desenvolvidas com maior eficácia.

Quais os principais desafios da BNCC e como superá-los?

A dificuldade inicial é a devida interpretação do texto e conversão em situações didáticas, como transformar as propostas em projetos, sequências didáticas, aulas invertidas etc. Outro grande desafio debatido é a dificuldade de fiscalização em um país tão grande e o respeito às especificidades regionais. A superação deles se dará com um trabalho conjunto dos profissionais visando os resultados, que serão positivos e farão a diferença na educação brasileira com o alinhamento e a cooperação de todas as esferas de ensino.

Enfim, a nova base é uma regulação importante para garantir equidade no ensino e desenvolvimento de maior autonomia dos alunos e de estratégias pedagógicas mais efetivas.

Que tal contar com uma ajuda profissional na orientação para implementar a Base Nacional Comum Curricular em sua escola? Entre já em contato conosco!