No dia a dia, o conhecimento não é segmentado em “caixas” chamadas de disciplinas. Existe uma relação intrínseca entre vários conteúdos de literatura, arte, música, ciências, conceitos matemáticos e análises históricas ou geográficas. Portanto, a interdisciplinaridade na escola é uma extensão do que acontece na vida.

Embora o conceito de interdisciplinaridade seja conhecido pelos educadores há décadas, nem sempre é fácil aplicá-lo em sala de aula, mesmo porque, isso depende da metodologia adotada pela escola.

Por isso, neste post vamos abordar algumas sugestões para ajudar você, coordenador ou gestor, a trabalhar a interdisciplinaridade na escola. Ficou curioso? Então, acompanhe o passo a passo que preparamos!

Possibilidades de implementação da interdisciplinaridade na escola

Antes de iniciarmos os passos para trabalhar a interdisciplinaridade em sala de aula, é importante destacar que existem possibilidades diferentes para essa implementação. Algumas escolas têm uma metodologia completamente focada no desenvolvimento de projetos interdisciplinares e, em alguns casos, não mais segmentam o conhecimento em disciplinas tradicionais. Portanto, seu currículo é desenhado a partir dos temas com os quais a instituição se propõe a trabalhar. No entanto, esses exemplos são raros.

Contudo, existem outras escolas que implementam a interdisciplinaridade de outra maneira. Elas não alteram sua metodologia para aplicar o conceito; elas mantêm o currículo estruturado em disciplinas, mas realizam projetos que permitem que os professores trabalhem em conjunto.

Esse projeto pode surgir de uma necessidade real do contexto. Nesse caso, cada professor aproveita as contribuições que seu conteúdo pode oferecer para que os alunos compreendam um tema geral.

Existe ainda um outro tipo de trabalho interdisciplinar, que é feito ainda que a escola não adote nenhum projeto específico. Alguns professores entendem que há pontos de convergência entre as diferentes disciplinas e desenvolvem uma estratégia para abordá-los em conjunto, potencializando a compreensão dos alunos sobre esses temas e, consequentemente, sua aprendizagem.

Apesar das diferenças, é válido destacar que nenhuma dessas possibilidades é melhor ou pior, certa ou errada. Cada uma tem contribuições a oferecer ao ensino e a escolha deve ser baseada na realidade de cada escola e no tipo de trabalho que ela se propõe a fazer.

4 passos para realizar projetos interdisciplinares na escola

Após essas considerações, podemos focar em alguns passos importantes para implementar a interdisciplinaridade.

1. Promova a formação continuada

Grande parte do sucesso da implementação de um novo modelo depende de dois fatores: o cognitivo e o motivacional. Por isso, é necessário ampliar a compreensão que os educadores têm a respeito do conceito e despertar o desejo de realmente transformá-lo em realidade. Quando a escola simplesmente impõe uma ideia, dificilmente ela alcança o resultado esperado.

Comece abordando brevemente a questão de forma teórica, reforçando a importância da interdisciplinaridade na escola. Depois desse processo, mostre relatos e vídeos de experiências bem-sucedidas. É importante que o foco da formação seja o “como fazer”. Portanto, o exemplo de outras escolas será muito útil para trazer os conceitos para a realidade concreta.

É possível destacar, por exemplo, que o ENEM é um exame oficial que utiliza esse conceito, o que exige dos estudantes a capacidade de elevar a elaboração do conhecimento a níveis superiores (aplicação, análise, síntese, julgamento).

Mesmo depois de reforçar a importância da interdisciplinaridade e de mostrar exemplos de como isso acontece em sala de aula, é possível que os professores ainda tenham dúvidas sobre como colocar esse conceito em prática. Nesse momento, o papel da coordenação pedagógica é fundamental. Esse setor precisa continuar orientando os educadores sempre que surgirem dificuldades.

Você pode utilizar vídeos, exemplos de projetos, possibilitar a troca de experiências com educadores de outras escolas e promover oficinas pedagógicas. Se a escola providencia auxílio prático para os professores, e não apenas palestras teóricas, eles ampliam seu repertório de referências e têm uma facilidade maior para aplicarem o conceito. Assim, eles aprendem “como” fazer.

2. Planeje de forma conjunta

Depois dessas etapas, sua equipe finalmente estará pronta para planejar uma abordagem interdisciplinar. A maioria das escolas trabalha com uma grade curricular tradicional, ou seja, aquela que é segmentada em disciplinas.

Portanto, é fundamental reunir os professores de áreas diferentes. Eles devem conversar sobre seus respectivos programas de ensino, identificar temas convergentes e propor ações para abordá-los de forma interdisciplinar. Enfim, é possível criar um cronograma de atividades no qual essas ideias serão inseridas.

3. Flexibilize

Ao incentivar os educadores a criarem projetos interdisciplinares é importante que a instituição permita a flexibilização de uma série de fatores. Vamos exemplificar.

Suponha que seus professores de Geografia, Matemática e Ciências decidam fazer uma ação conjunta. Eles analisarão a incidência de uma epidemia em determinada região da cidade e utilizarão esse tema para abordar aspectos geográficos e humanos do local, o ciclo de propagação da doença e a análise estatística.

No entanto, é possível que para fazer isso os educadores precisem alterar a ordem em que os conteúdos são apresentados, tanto na proposta pedagógica quanto no material didático. É interessante que haja flexibilidade para acomodar essas pequenas alterações.

4. Escolha recursos que integram o conhecimento

Iniciamos este post falando que a interdisciplinaridade está presente na vida. Portanto, a melhor maneira de implementá-la na escola é trazendo a realidade para a sala de aula. Os textos jornalísticos são exemplos de recursos que podem ser usados com a finalidade de integrar o conhecimento de diversas áreas.

Atualmente, a internet facilita muito essa inserção da realidade na sala de aula. O professor encontra uma série de conteúdos digitais — textos, reportagens, vídeos, blogs, sites, produções artísticas — que facilitam esse processo. Além disso, existem ferramentas educacionais desenvolvidas justamente com esse propósito.

Um exemplo é o das plataformas interativas que adaptam notícias à linguagem ideal para as diferentes faixas etárias e proporcionam atividades desafiadoras realizadas a partir da leitura. Professores de diferentes disciplinas conseguem utilizar o material que elas oferecem para trabalhar o conteúdo proposto. Dessa forma, o aluno tem uma visão mais abrangente dos temas.

Implementar a interdisciplinaridade na escola não se trata apenas de uma decisão, mas de um processo de construção de uma prática pedagógica inovadora e conectada com a realidade. Conscientizar, implementar, avaliar e aperfeiçoar sempre será o segredo do sucesso.

Esperamos que este post tenha oferecido ideias interessantes para sua atuação docente. Se você gostou do conteúdo, assine a nossa newsletter. Enviaremos sugestões diretamente para o seu e-mail. É só se inscrever para não perder nenhuma novidade!