Image

Pedagogia de projetos: saiba os passos para implementar em sua escola

By  •  1 ano ago  •  Inove +

Você acredita que o papel da escola vai muito além da transmissão de conhecimentos e que é necessário preparar os estudantes para analisar problemas reais, desenvolver pesquisas para compreendê-los e propor alternativas para solucioná-los?

Se a resposta foi positiva, então você vai gostar do artigo que preparamos sobre a pedagogia de projetos, uma perspectiva que vai além da memorização e do aprendizado engessado com conteúdos prontos.

Acompanhe nosso post e entenda um pouco mais sobre o que é, quais são seus objetivos e como implementar na sua escola. Boa leitura!

O que é a pedagogia de projetos

A pedagogia de projetos é uma metodologia de ensino por meio da experiência, que propõe uma conexão entre o estudante e um projeto de pesquisa que desperte o interesse dele. O papel do professor, nessa proposta, é favorecer o ensino com base nas descobertas, frutos das pesquisas realizadas pela classe, sob sua orientação.

O objetivo da pedagogia de projetos

A pedagogia de projetos é uma das alternativas que a escola pode utilizar para formar cidadãos independentes, críticos e participativos na sociedade. Ao propor uma abordagem baseada em projetos, a escola incentiva uma visão interdisciplinar do conhecimento, o aprendizado por meio da experiência e o desenvolvimento da autonomia dos alunos.

Outra vantagem da pedagogia de projetos é o estímulo ao pensamento crítico, que contribui para a transformação dos estudantes em indivíduos autônomos e socialmente ativos.

Características dessa forma de pedagogia

A principal característica da pedagogia de projetos é a intencionalidade. É essencial que os projetos sejam escolhidos a partir dos objetivos que o professor pretende que a turma alcance e no conjunto de conhecimentos que eles precisam construir.

A partir do momento em que o professor define os objetivos de aprendizagem, surgirão várias possibilidades de projetos em que é possível contemplá-los. Portanto, nessa segunda etapa o educador deve ficar atento aos interesses dos estudantes ou aproveitar temas que despertam atenção dos alunos.

Outra característica presente é a flexibilidade. Como sabemos, os alunos têm características e conhecimentos prévios completamente diferentes, o que faz com que o perfil de uma classe seja completamente distinto do perfil de outras turmas. Por isso, é provável que a recepção, o engajamento e mesmo o resultado que cada turma obtenha sejam completamente distintos. O educador precisa fazer um acompanhamento das atividades para perceber essas diferenças e modificar o plano, se necessário.

Aliás, a diferença entre as turmas é responsável também pela heterogeneidade dos resultados. A escola nunca deve esperar que a resolução do problema proposto pelo projeto aplicado seja a mesma de uma classe para outra ou comparar os resultados obtidos.

Outra característica muito importante da pedagogia de projetos é sua multidisciplinaridade. A solução de um problema raramente pode ser obtida com conhecimentos proporcionados por uma única área. A relação entre disciplinas como Ciências, Matemática e Português é uma das chaves da pedagogia de projetos.

Como organizar um projeto

Para organizar e desenvolver um projeto, o coordenador pedagógico e os educadores devem seguir algumas etapas.

Diagnóstico

Antes de iniciar o projeto, o professor precisa conhecer seus educandos. Para ser bem-sucedida, a intervenção pedagógica deve partir dos saberes prévios dos alunos. Assim, as atividades podem ser elaboradas de acordo com a Zona de Desenvolvimento Proximal dos estudantes, tornando a aprendizagem natural e prazerosa.

Intenção

A equipe deve iniciar respondendo a três questões básicas.

  1. O que pretendemos com a realização desse projeto?

  2. Que resultados podemos esperar?

  3. Em quais sentidos os alunos serão impactados?

Os objetivos devem ser pensados com base nos planejamentos das séries e nas metas estabelecidas para o grupo, competências que devem ser desenvolvidas e as perguntas que os alunos elaboram para tais conteúdos. O envolvimento dos estudantes nessa etapa pode favorecer o engajamento.

Preparação e planejamento

A partir do diagnóstico e da intenção, o professor deve planejar o desenvolvimento das atividades.

  • Quais serão as atividades principais do projeto?

  • Quais estratégias serão utilizadas?

  • Que materiais serão usados como fonte de pesquisa?

  • Qual será o tempo de duração do trabalho?

  • Como será feito o fechamento do estudo?

Os educadores devem confrontar o que a classe já sabe, responder às dúvidas ao mesmo tempo em que levantam novas questões, estimular a curiosidade a respeito do tema trabalhado e incentivar as pesquisas fora do lugar-comum.

Desenvolvimento

A partir da escolha do tema e da introdução do projeto com os alunos, começa a etapa de desenvolvimento. Muitas atividades podem acontecer, desde que sua relevância para a solução do problema seja evidente.

Os projetos têm dinâmicas diferentes. Por isso, as atividades adequadas para o desenvolvimento de alguns temas podem não ser as melhores no caso de outros. No entanto, algumas opções são discussões, pesquisas em jornais, na internet e na biblioteca, convite a especialistas para realizarem palestras e debates com os estudantes etc.

Se possível, a análise do problema deve levar os alunos além do espaço escolar. Alguns dos projetos que mais interessam aos estudantes, por exemplo, são aqueles que se referem à solução de situações que eles veem nas suas comunidades. Nesses casos, a presença in loco pode ajudá-los a compreender o problema de forma mais profunda.

Vamos exemplificar com uma situação prática: a proliferação de doenças como a dengue, a Zika e a Chikungunya é um problema de saúde pública que afeta o Brasil há vários anos. Sabe-se que ela acontece devido à falta de controle sobre a reprodução do mosquito Aedes Aegypti.

Em Belo Horizonte (MG), alunos de um Colégio Técnico da Universidade Federal de Minas Gerais saíram a campo e perceberam a dificuldade de agentes de saúde para entrar nas casas e detectar criadouros.

Eles perceberam que era necessário criar alternativas para identificar criadouros e combater o mosquito. Então, desenvolveram uma solução: realizar o mapeamento fotográfico das áreas mais afetadas com drones e o reconhecimento automático de focos de reprodução por meio de machine learning.

Esse é um projeto complexo, pois se trata do trabalho realizado por um Colégio Técnico. No entanto, visitas pedagógicas realizadas ao local onde o problema é verificado podem levar os alunos a identificarem padrões, levantarem hipóteses, analisarem o tema e proporem soluções — exatamente o que se espera de um projeto.

A participação dos alunos deve ser ativa, uma vez que o objetivo está na criação de uma construção para o conhecimento, e não na transferência dele. Sendo assim, é interessante que os estudantes produzam relatórios orais ou escritos para que o professor acompanhe o desenvolvimento de cada grupo, identifique possíveis dificuldades e proponha intervenções.

Finalização do projeto

A escola deve organizar o fechamento dos trabalhos divulgando os resultados para toda a comunidade escolar. Em mostras dos projetos de ciências ou arte, saraus, noites culturais, festas da família ou finais de semana de integração, a instituição deve mostrar aos pais e responsáveis o resultado dos estudos e encerrar o ciclo.

Seja qual for o projeto a ser trabalhado, a chave para o sucesso é que a coordenação pedagógica atue junto aos professores, respeitando e estimulando o interesse dos alunos. Quer conhecer um exemplo em que esse engajamento gerou excelentes resultados? Confira o case da CEI aqui no nosso blog! 

Se este artigo sobre a pedagogia de projetos foi relevante para o seu trabalho, curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de mais conteúdos informativos!

Powered by Rock Convert